segunda-feira, 8 de dezembro de 2008

Esta sensação de vazio em que me encontro,
diferente de tantos vazios experimentados,
é profunda, oca e sem sabor
nua como um desejo infundado.

é brisa fria e indolor,
no seu desconforto errante
que em meu peito latejante,
não encontra lugar nem amor.

Não repouso,
não vislumbro
Não existe o concreto.

Apenas um sonho...eterno,
e a vida a descoberto.

3 comentários:

poeta_poente disse...

lindo.... adorei..

u João disse...

Olá Siuxi :)
Que belo poema, que acaba no sonho.
É da tua autoria?
Beijo

Siuxi disse...

Olá João

Bem vindo a este meu tão recente espaço.
Sim, é de minha autoria.
Seis horas nostálgicas de uma longa viagem.

Volta sempre. Eu vou continuar a ler-te :-)

Bjnh